Quote IconCom menos peso pra carregar e mais condicionamento, os treinos aumentaram. Além das corridas passei a fazer dois dias de musculação, com programas voltados a explosão e força nas pernas. Nessa altura, a equipe de preparação do Projeto Annapurna já tinha um cardiologista, um nutricionista, um treinador de corrida e outro de musculação.

Trecho do meu primeiro livro, uma história sobre muitas histórias. Lançamento em breve…

Quote IconCaio, no fundo, sabia de tudo. Era compadre cúmplice como meu pai inglês. Em Julho de 2012 encontrei Caio na saída da escola da molecada. Contei rapidamente dos exames e da situação. A resposta foi direta: “Você tem que ir comigo pro Everest. Vou guiar um grupo ano que vem e isso é o que você precisa”.

Trecho do meu primeiro livro, uma história sobre muitas histórias.

Quote IconLonge dos amigos, com uma empresa sólida mas sem caixa e com algumas dezenas de assuntos familiares mal resolvidos, a única base de energia que tinha era esposa e filhos. E estava com medo de parar de inspirá-los. Não sou um bom educador, isso deixo pra minha mulher e ajudo no que posso. Mas sempre fui um ótimo inspirador e sempre procurei inspirá-los para terem autonomia e seguir em frente. E eu sabia que estava atravessando esse limite.

Trecho do meu primeiro livro, uma história sobre muitas histórias. 

Quote IconMas quando dava as paradas pra refletir sobre a vida, ficava cansado só de pensar na agitação até então. Eis que em julho de 2012 percebi que nem isso estava fazendo mais. Tinha parado no tempo, no espaço e nas reflexões. Os últimos cinco anos não tinham sido fáceis. A história é popular, cheia de clichês e todo mundo conhece, mas com outros personagens.

Trecho do meu primeiro livro, uma história sobre muitas histórias. 

Quote IconNa terra do Rock morei meus primeiros meses em Brighton, cidade litorânea, no sul da Ilha inglesa, cheia de universitários e entretenimento. Terra de músicos, escritores e do Brighton College of Technology, onde fiz um curso relâmpago de produção digital em rádio e TV. Numa época em que trocava cartas com meus pais fazer um curso digital era pra mim algo surreal. Era 1995 e não tinha Google (de 1998), nem nada da nossa atual vida conectada.

Trecho do meu primeiro livro, uma história sobre histórias, movimentação do ponto A ao B.

Dia 26 > último dia de trekking, apenas uma hora de Dhampus a Phedi, de onde pegaremos carona pra Pokhara, a segunda maior cidade do Nepal e base pros aventureiros do Annapurna. Como diria Craig (amigo californiano), essa viagem foi full power. Não vejo a hora de dividir cada segundo de lembranças e experiências com meus filhos. Namaste.
Zoom Info
Dia 26 > último dia de trekking, apenas uma hora de Dhampus a Phedi, de onde pegaremos carona pra Pokhara, a segunda maior cidade do Nepal e base pros aventureiros do Annapurna. Como diria Craig (amigo californiano), essa viagem foi full power. Não vejo a hora de dividir cada segundo de lembranças e experiências com meus filhos. Namaste.
Zoom Info
Dia 26 > último dia de trekking, apenas uma hora de Dhampus a Phedi, de onde pegaremos carona pra Pokhara, a segunda maior cidade do Nepal e base pros aventureiros do Annapurna. Como diria Craig (amigo californiano), essa viagem foi full power. Não vejo a hora de dividir cada segundo de lembranças e experiências com meus filhos. Namaste.
Zoom Info
Dia 26 > último dia de trekking, apenas uma hora de Dhampus a Phedi, de onde pegaremos carona pra Pokhara, a segunda maior cidade do Nepal e base pros aventureiros do Annapurna. Como diria Craig (amigo californiano), essa viagem foi full power. Não vejo a hora de dividir cada segundo de lembranças e experiências com meus filhos. Namaste.
Zoom Info

Dia 26 > último dia de trekking, apenas uma hora de Dhampus a Phedi, de onde pegaremos carona pra Pokhara, a segunda maior cidade do Nepal e base pros aventureiros do Annapurna. Como diria Craig (amigo californiano), essa viagem foi full power. Não vejo a hora de dividir cada segundo de lembranças e experiências com meus filhos. Namaste.

Dia 25 > caminhada leve até Dhampus, a mais tranquila de todas, tranqüilidade suprema perto do que passamos. Hoje começa a reentrada na atmosfera e vilarejos maiores até chegar a Pokhara. Abri uma cerveja local, comi uma barra de chocolate Mars, tomei banho quente, tenho essa vista inacreditável pra face Sul da Machhapuchhre (Fishtail) e olha só, tenho conexão! Admirando a face Sul dos Himalaias e toda a grandeza da Cordilheira fico pensando como conseguimos bater o ABC naquele tempo terrível. Fiquei sabendo que nessa temporada cerca de trezentas pessoas em quase 7 bilhões de terrestres terão feito tal proeza. É que pra mim e minhas limitações foi proeza mesmo. Namaste.
Zoom Info
Dia 25 > caminhada leve até Dhampus, a mais tranquila de todas, tranqüilidade suprema perto do que passamos. Hoje começa a reentrada na atmosfera e vilarejos maiores até chegar a Pokhara. Abri uma cerveja local, comi uma barra de chocolate Mars, tomei banho quente, tenho essa vista inacreditável pra face Sul da Machhapuchhre (Fishtail) e olha só, tenho conexão! Admirando a face Sul dos Himalaias e toda a grandeza da Cordilheira fico pensando como conseguimos bater o ABC naquele tempo terrível. Fiquei sabendo que nessa temporada cerca de trezentas pessoas em quase 7 bilhões de terrestres terão feito tal proeza. É que pra mim e minhas limitações foi proeza mesmo. Namaste.
Zoom Info
Dia 25 > caminhada leve até Dhampus, a mais tranquila de todas, tranqüilidade suprema perto do que passamos. Hoje começa a reentrada na atmosfera e vilarejos maiores até chegar a Pokhara. Abri uma cerveja local, comi uma barra de chocolate Mars, tomei banho quente, tenho essa vista inacreditável pra face Sul da Machhapuchhre (Fishtail) e olha só, tenho conexão! Admirando a face Sul dos Himalaias e toda a grandeza da Cordilheira fico pensando como conseguimos bater o ABC naquele tempo terrível. Fiquei sabendo que nessa temporada cerca de trezentas pessoas em quase 7 bilhões de terrestres terão feito tal proeza. É que pra mim e minhas limitações foi proeza mesmo. Namaste.
Zoom Info

Dia 25 > caminhada leve até Dhampus, a mais tranquila de todas, tranqüilidade suprema perto do que passamos. Hoje começa a reentrada na atmosfera e vilarejos maiores até chegar a Pokhara. Abri uma cerveja local, comi uma barra de chocolate Mars, tomei banho quente, tenho essa vista inacreditável pra face Sul da Machhapuchhre (Fishtail) e olha só, tenho conexão! Admirando a face Sul dos Himalaias e toda a grandeza da Cordilheira fico pensando como conseguimos bater o ABC naquele tempo terrível. Fiquei sabendo que nessa temporada cerca de trezentas pessoas em quase 7 bilhões de terrestres terão feito tal proeza. É que pra mim e minhas limitações foi proeza mesmo. Namaste.

Dia 24 > o retorno, andamos de Jhinudanda a Pothana. E quando você pensa que o esforço no limite acabou, lá vem uma seqüência de sobe e desce pra deixar as pernas bambas (de novo). Foram 14km com as acensões mais fortes até agora. Não consigo mais dizer o que dói no corpo, mas o que não dói é fácil: orelhas e olhos. Tem sido emocionalmente intenso, tipo tatuagem, marcado no corpo e na alma. Aqui tivemos o nascer do Sol mais espetacular de todos os tempos, aperta o play. E aqui também tivemos a noite mais surreal de todos os tempos ao lado de cinco amigos que também bateram o ABC nessa temporada, um casal californiano e três ingleses. Definitivamente serão tema de post em breve. Em duas noites estarei de volta a Pokhara, o fim do trekking e início de uma nova perspectiva de vida. Não vejo a hora do encontro triunfal com um banheiro simples, mas com água quentinha e afins.

PS: o Advil acabou, passei pro coquetel de Dorflex.

Dia 23 > de Sinuwa a Jhinudanda (Hot Spring). Mudamos o caminho pra fugir um pouco da trilha mais comercial, entretanto a primeira parada é, de fato, turística, mas, de fato, inacreditável. Jhinu é um vilarejo simpático, com casinhas coloridas, as primeiras que vejo assim, e próximo da tal Hot Spring. Malandro, água fervendo brotando da terra, coisa de louco. Dai os nativos fizeram dois tanques de pedras e represaram a água. Imagina uma jacuzzi e ducha natural no pé de Montanhas com Floresta e um rio passando ao lado. Uma das coisas mais impressionantes que já vi nessa vida. Recompensa pelo desespero das últimas 48hs?

  • Conecte

  • Load more posts

    Loading